Web 1.0, Web 2.0 e Web 3.0… Enfim, o que é isso?

Esses termos são motivos de muita confusão e discussões e no fim acaba sendo difícil entender o que realmente é um ou outro.
Entenda agora o que são essas nomenclaturas criadas para retratar as constantes mudanças que acontecem e aconteceram com a internet!

Em busca de uma definição

Muitos acreditam que esses termos nomeiam diferentes versões e /ou atualizações da nossa tão querida rede mundial de computadores, a internet, mas o fato é que a internet sempre foi a mesma, na prática não foi sua tecnologia que mudou e sim o comportamento de seus usuários.

Logo, os diferentes momentos da internet, até representam um avanço na tecnologia, porém, estão mais relacionadas a forma que a utilizamos.

Web 1.0 – O mundo novo

É a internet como ela surgiu. Sites de conteúdo estático com pouca interatividade dos internautas e diversos diretórios de links.

Ainda com poucos usuários, e esses em sua grande maioria fazendo um uso bastante técnico da rede, predominavam os sites de empresas e instituições recheados de páginas “em construção”.

Evoluindo de suas raízes de uso militar e universitário, a internet começou a caminhar e tomar forma diante das necessidades das pessoas. Essa foi a era do e-mail, dos motores de busca simplistas e uma época onde todo site tinha uma seção de links recomendados.

Mesmo sendo muito diferente do que conhecemos hoje, a internet foi uma revolução para todos aqueles que dependeram toda a vida de bibliotecas, correios e telefones para trocar informações, aprender ou consultar algo (Eu sei que você esta se perguntando como foi que a humanidade conseguiu viver tanto tempo sem a internet, não é mesmo?).

Os principais serviços dessa época eram o Altavista, Geocities, Cadê, Hotmail, DMOZ, Yahoo! e, claro, o Google.

Web 2.0 – A era social

A Web 2.0, também chamada de web participativa, foi a revolução dos blogs e chats, das mídias sociais colaborativas, das redes sociais e do conteúdo produzido pelos próprios internautas.

Nesse momento, a internet se popularizou em todo o mundo, e começou a abranger muito mais do que algumas empresas para se tornar obrigatória para qualquer um que queira ter sucesso no mercado.

Por meio do YouTube, Facebook, Flick, Picasa, Wikipédia, e muitas outras redes sociais, todos passaram a ter voz e essa voz passou a ser escutada e respeitada fielmente.

O termo Web 2.0 (e consecutivamente, o Web 1.0) foi criado pelo especialista no setor Tim O’Reilly, classificando essa nova forma de utilizar a internet como uma “web como plataforma”.

Os sites criados para esse momento da internet já não são estáticos e possuem um layout claramente focado no consumidor e também na usabilidade dos buscadores. Conceitos de criação de site e da otimização de site são altamente essenciais para os sites a partir da Web 2.0.

Nesse momento a navegação mobile e uso de aplicativos já tem forte presença no dia-a-dia das pessoas.

Web 3.0 – O que vem por ai…

Nomear movimentos e acontecimentos da história enquanto eles são vividos é sempre muito difícil, porém o termo Web 3.0 não é exatamente algo inédito e há um tempinho já estamos vendo ele por ai.
A Web 3.0 é uma internet onde teremos toda informação de forma organizada para que não somente os humanos possam entender, mas principalmente as máquinas, assim elas podem nos ajudar respondendo pesquisas e perguntas com uma solução concreta, personalizada e ideal. É uma internet cada vez mais próxima da inteligência artificial. É um uso ainda mais inteligente do conhecimento e conteúdo já disponibilizado online, com sites e aplicações mais inteligentes, experiência personalizada e publicidade baseada nas pesquisas e no comportamento de cada individuo.
Alguns dizem que a Web 3.0 é uma internet móvel, focada em celulares e smartphones, porém esse é um pensamento totalmente errôneo. A Web 3.0 é muito mais ampla do que o conceito mobile, nesse cenário as pessoas estão e estarão conectadas 24 horas por dia nos 7 dias da semana, por meio dos celulares, smartphones, SmartTV’s, iPod’s,  tablets, carros, videogames que são verdadeiras centrais de diversão, e projetos como iWatch e Google Glass, que estão mais próximos de nossa realidade do que imaginamos.
O termo Web 3.0 foi criado pelo jornalista John Markoff, do New York Times, baseado na evolução do termo Web 2.0 criado por O’Really em 2004. Outras denominações desse mesmo momento são “Web Semântica” ou “Web Inteligente”.